Aradas: O entrudo da nossa infância

Lavadeira de Aradas (rede global)

Somos mais ou menos da mesma geração por isso as memórias não serão muito diferentes. O que talvez faça a diferença são os locais onde fomos criados e as tradições que por aí vivemos.
Sou de uma freguesia do concelho de Aveiro (Aradas) e o entrudo era vivido com muita alegria. Muitas partidas que pregávamos uns aos outros sempre com o objectivo de festejar estes 3 dias que também eram de férias. Os mais novos procuravam entre as roupas dos avós e demais adultos da família adereços que lhes permitissem divertir-se. Os mais velhos acompanhavam-nos, por vezes com uma máscara, sabendo de antemão que elas não eram muito bem-vindas. Assim trajados, todos iam para a rua, batíamos às portas uns dos outros e o grupo ia engrossando assim como iam engrossando as risadas e brincadeiras malucas, muitas delas predestinadas por aqueles que não gostavam tanto de alinhar nestas brincadeiras.
As serpentinas ajudavam ao colorido, as gaitas e os pequenos tambores, feitos por nós, também ajudavam ao ruído da festa. E, rua acima rua abaixo, fazíamos do carnaval um espaço de confraternização, de alegria, de convívio entre pequenos e grandes.
Convém dizer que os mascarudos (eram assim chamados pela criançada) iam para a rua só depois de um bom almoço, onde não faltava uma feijoada à maneira (muitas famílias matavam o porco) ou o melhor galo da capoeira.
Este era o carnaval da minha infância. Não era melhor nem pior do de hoje. Era o nosso carnaval. Era a nossa forma de convidar os outros à alegria, de fazer alegria e convívio. São momentos que fazem parte das minhas (nossas) memórias e que ao passá-las aos mais novos só ajuda a que não morram, que as nossas tradições ainda sejam preservadas, facto que comprovamos ao ver em muitas das nossas terras o carnaval trapalhão tão característico da nossa identidade de portugueses. Bem-hajam por isso.

Maria de Lurdes Menezes

Nota: Resposta de Maria de Lurdes Menezes ao meu desafio sobre o entrudo da nossa infância, que agradeço.
FM

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

Famílias Tradicionais da Gafanha

A Borda