quarta-feira, 22 de junho de 2011

domingo, 19 de junho de 2011

Escritores fascinados pela Ria de Aveiro — 26



Ai que lindo casamento
Passou ali ao cruzeiro! ...
— Era noivo o Rio Vouga,
E noiva, a Ria de Aveiro.

Pelas noites de luar
Ou ao sol de um claro dia,
Que lindo um barco a vogar
Nas águas mansas da Ria!

Para te evocar, Aveiro,
Mais a quem em ti se cria,
Basta um barco moliceiro
Da tua esplêndida Ria!

Reinaldo Matos
“Sinfonia de poemas de Reinaldo Matos — 25 anos de poesia”

quinta-feira, 16 de junho de 2011

O velho Arrais vivia do passado como quem vive dum sonho

 Arrais Gabriel Ançã



O Arrais Gabriel Ançã

Pelo Dr. Frederico de Moura

Eu estou a vê-lo. Tenho-o guardado na retina desde a infância – desde a infância que, como coisa nenhuma, sabe guardar retratos pelos tempos fora, envolvê-los em névoa de sonho e cercá-los de um nimbo de ternura humana. Mas, de vê-lo a exprimi-lo, de tê-lo a comunicá-lo, vai uma distância que a minha pobre pena não vence e que a minha palavra não consegue percorrer antes da laringe me ficar afónica.
A bruma da distância, é certa, vincou-lhe mais as sombras, marcou-lhe mais os traços, deixou-o mais descarnado de fundos diluentes, com as proeminências e os ângulos mais pontiagudos. A visão da adolescência enriqueceu-lhe a figura tisnada e rude de um bafo quente de humanidade e de uma legenda brônzea de heroísmo. Mas foi tal o respeito que a sua figura me transmitiu que, agora, até tenha medo de lhe tocar para a trazer para aqui.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Gafanha da Nazaré: Padres ordenados durante um século



Durante um século, a Gafanha da Nazaré ofereceu à Igreja 22 presbíteros, cujos nomes deixamos à nossa reflexão. Muitos deles cruzaram-se connosco nos caminhos da vida. Ter-nos-ão dirigido a palavra e de alguns teremos recebido conselhos amigos. Sabemos da sua entrega a Deus e à Igreja e do esforço de todos por uma sociedade mais humana e mais fraterna.
Cada um deles merece, sem dúvida, uma referência mais alargada, que ficará para mais tarde.

João Ferreira Sardo (n. 01-09-1873, ord. 30-07-1898, + 20-12-1925)
António da Silva Caçoilo (n. 24-08-1880, ord. 04-11-1906, + 06-11-1948)
José Maria da Silva (n.?, ord. 1911, +23-04-1955)
José Maria Ribau (n. 19-11-1892, ord. 1914, +31-08-1954)
Diamantino Ribau (n. 1906, ord. 04-04-1931, + 01-02-1933)
João Maria Carlos (n. 03-10-1900, ord. 11-03-1933, + 06-09-1957)
José Maria Carlos (n. 12-01-1904, ord. 11-03-1933, +20-02-1972)
Manuel Maria Carlos (n. 01-05-1911, ord. 06-04-1935, + 12-06-2004)
Artur Ferreira Sardo (n. 21-03-1912, ord. 30-07-1944, + 11-12-2000)
Manuel Ribau Lopes Lé (n. 04-08-1922, ord. 30-09-1947, + 25-05-2010)
Alexandre Vilarinho das Neves (n. 23-04-1928, ord. 29-06-1953, + 07-02-2004)
José Rodrigues Pereira (n. 08-10-1919, ord. 29-06-1950, + 19-07-1997)
José Caçoilo Fidalgo (n. 06-12-1938, ord. 29-12-1963)
Carlos Manuel Ramos Belo (n. 25-12-1940, ord. 25-07-1965, + ?)
Jeremias Carlos Vechina (n. 21-11-1938, ord. 11-09-1966)
José Carlos Vechina (n. 14-10-1942, ord. 08-09-1969)
Júlio da Rocha Rodrigues (n. 04-02-1935, ord. 15-08-1970)
Silvino Teixeira Filipe (n. 19-01-1954, ord. 27-09-1981)
Vítor Manuel Nunes Espadilha (n. 06-04-1959, ord. 15-08-1985)
Constantino do Espírito Santo (n. ?, ord. 03-08-1986)
Paulo Manuel Teixeira Gandarinho (n. 03-09-1961, ord. 10-05-1987)
Carlos Alberto Pereira de Sousa (n. 28-03-1960, ord. 29-06-1996)

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Capela de São João da Praia da Barra


Capela de São João

Autos de revista da Capela 
de São João Baptista da Praia da Barra
1880, Junho, 15:

Autos de revista da Capela de São João Baptista mandada construir nas areias da Barra por João Pedro Soares, natural da freguesia da Senhora da Glória de Aveiro

Ano de nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de mil oitocentos e oitenta aos quinze dias de Junho, nesta Câmara Episcopal de Aveiro, a petição que a diante faço termo, eu José Pereira de Carvalho a escrevi a assino. Ass

João Pedro Soares morador nesta freguesia de Nossa Senhora da Glória de Aveiro, por sua particular devoção para com São João Baptista mandou construir uma Capela em terreno seu nas areias da Barra de Aveiro, freguesia de São Salvador de Ílhavo; e por que muito desejo que se celebre nela o santo sacrificio vem requerer a V. Ex.a se digne conder licença para benção da dita Capela que tem o ornato necessário, com V. Exd.a pode mandar averiguar por que julgar conveniente, ficando capela de uso público. Pede deferimento.

Auto de revista

Em cumprimento da ordem de V. Ex.a constante do mandado junto, fui às areias da Barra, e aí unida a uma morada de casas mandadas construir pelo requerente João Pedro Soares, encontrei uma Capela que pretendem denominar de São João Baptista do banho santo, mandada construir pelo mesmo proprietário em terreno seu e a expensas suas, cuja Capela alinha com as ditas casas e está dentro do quintal das mesmas, com a porta principal para o areal em frente do mar e é de fácil acesso às pessoas que ali vão tomar banhos por ficar próxima da praia; tem uma porta travessa para o aido das casas. Tem a dita Capela de comprimento interior 4,5 m por 3 m de largo. O altar tem 2 m e a tribuna acima do altar 2,5 m; está soalhada, rebocada e forrada, pintado de branco o forro, altar e tribuna, tem banqueta de quatro castiçais e cruz com imagem, de madeira pintada a branco e amarelo e pedra de ara vinda do extinto Convento de Santo António da cidade de Aveiro; nãop tem sacristia nem credencias, mas lugar para estas se está a fazer. Tem um cálice com sua patena e colher de prata dourada, um sanguineo, duas bolsas de corporais, uma branca outra encarnada de damasco, uns corporais duplicados de linho, dois véus de cálice de seda, um branco outro encarnado, uma alva, amito e cordão de linho, três casulas com manípulos e estolas tudo de damasco, branco, encarnado e branco e encarnado, um manustérgio, um prato de estanho com duas galhetas de vidro, um missal impresso em Lisboa em 1860 e sua estante de pau-preto, tudo em muito bom uso. e isto achei no exame a que procedi, e não achei faltas que mereçam notar-se parecendo-me estar no caso de breve se poder benzer.

Ílhavo, 19 de Junho de 1880
O prior, João André Dias

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Escritores fascinados pela Ria de Aveiro — 25


Belezas da nossa terra

Tão linda a nossa ria, esta laguna;
É um perfeito lago adormecido!
Não há, por mais encantos que reúna,
Melhor que o nosso Vouga apetecido.

Distingo o casario além na serra…
Se olhar p’rá Costa Nova é um altar!
A bênção do Senhor cai sobre a Terra
Que mais tens, Natureza, p’ra nos dar?

As águas cristalinas e mansinhas,
A Gafanha a sorrir, casas branquinhas!
Que inefável pureza, Santo Deus!

Belezas que se gravam na retina
Encantos duma hora matutina
Que eu passo a meditar, olhando os céus!

Silva Peixe
“Aveiro: Princesa do Vouga”


POSTAL ILUSTRADO — RIA DOUTROS TEMPOS

O postal que reproduzo acima é mesmo um postal ilustrado, não com as cores naturais, mas com tonalidades que eram um luxo para a época....