Lançamento à água do “Novos Mares”


19 de março de 1958 

"Novos Mares" 
(Foto do blogue Marintimidades)

«No dia de S. José — 19 de Março — foi lançado à água o lugre bacalhoeiro NOVOS MARES, da firma Testa & Cunhas, Limitada. 
Comemorando este acontecimento foi oferecido um lauto jantar no Salão do Cine-Teatro Avenida ao qual assistiram, além de muitas outras individualidades o Ministro da Marinha, Governador Civil do Distrito de Aveiro e Comandante Henrique Tenreiro. 
Na carreira de construção foi dada a bênção pelo sr. D. Domingos da Apresentação Fernandes, Vigário Capitular da Diocese que dirigiu algumas palavras, em nome da Igreja. 
O Eng. Sobral, em nome da Empresa Construtora, Estaleiros Mónica de Manuel Maria Mónica & Filhos, saudou os presentes e expôs a necessidade de construção de ferro naqueles estaleiros. 
Em nome da firma Testa & Cunhas, L.da falou o seu gerente António Cunha congratulando-se com todos e a todos agradecendo. 
O Governador Civil, de palavra sempre fluente, renovou o pedido de construção de ferro. 
Historiou a Empresa Testa & Cunhas o Comandante Henrique Tenreiro. 
Finalmente o Ministro de Marinha, Almirante Américo Tomás encerrou a cerimónia. 
NOVOS MARES, descolou da carreira, entre palmas da numerosa assistência, depois da Esposa do sr. Eng. Higino Queirós, madrinha do barco, ter quebrado a tradicional garrafa de champanhe. 
Vinte anos atrás, a mesma ilustre senhora, em cerimónia idêntica, apadrinhava o afundado NOVOS MARES, da mesma empresa, há pouco perdido nas águas geladas do Norte.» 

Transcrição do jornal TIMONEIRO, de março de 1958 

Nota: Nesta efeméride limitei-me tão-só a transcrever a notícia do acontecimento, tal como foi publicada no TIMONEIRO, com toda a simplicidade. Contudo, não deixei de ler outras notas interessantes, registadas no blogue Marintimidades, de Ana Maria Lopes, que participou na festa. Os mais curiosos podem consultá-lo. 

Legenda da foto: NOVOS MARES. Foto do blogue de Ana Maria Lopes

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

Um retrato bonito da Gafanha do Carmo

A Borda