Costa Nova dos anos sessenta


Para quem não sabe, ou não recorda bem, a Costa Nova já teve a ria a beijar-lhe os pés. De uma qualquer esplanada, onde os cafés têm outro sabor, poderia conviver-se mais de perto com a maresia. Depois nasceu o largo com relva, árvores e passeios, que também terá as suas vantagens. Confesso, no entanto, que tenho saudades dos tempos em que a ria nos enchia os olhos e a alma, sem ser necessário ir à procura dela.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

A Borda