Fundadores da freguesia e paróquia – 1


O Povo

Na evocação de efemérides ocupam, por norma, as cadeiras de destaque os chefes naturais e oficiais, relegando-se para segundo plano, quando não são atiradas para o baú de inutilidades, as pessoas simples que deram corpo e alma a projectos que contribuíram para a formação do povo e para a construção das comunidades.
Na Gafanha da Nazaré também aconteceu assim, não obstante se reconhecer hoje que os gafanhões foram, realmente, os primeiros obreiros esforçados, na labuta diária que imprimiram à transformação das dunas em terra de pão. Sem ajudas conhecidas, sem orientações capazes, sem infra-estruturas onde pudesses escudar-se, sem ninguém por perto a quem se atrevessem a dirigir olhares de súplica.
E porque é difícil escolher nesse baú um ou outro nome, sem correr o risco de cometer injustiças graves, penso que a palavra Gafanhão encarna a melhor definição para o homem e a mulher que, de braço dado, deram vida e alma à criação da freguesia e paróquia, cujo centenário celebramos.
Honra, portanto, a esses bravos que nos legaram herança tão expressiva, como é a terra que habitamos.

FM

In "Gafanha da Nazaré – 100 anos de vida"

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

A Borda