O bispo que criou a paróquia de Nossa Senhora da Nazaré


 D. Manuel Correia de Bastos Pina

Anda, ao que julgo, muito esquecido entre nós o Bispo que decretou a ereção canónica da nossa paróquia em 31 de agosto de 1910. Trata-se de D. Manuel Correia de Bastos Pina, Bispo-conde de Coimbra, natural da Carregosa, concelho de Oliveira de Azeméis, onde nasceu em 19 de novembro de 1830.
Na altura, a Diocese de Aveiro ainda não havia sido restaurada, pelo que pertencíamos à Diocese de Coimbra. E só em 1938, no dia 11 de dezembro, com a restauração da Diocese de Aveiro, é que deixámos de pertencer à Igreja Conimbricense.
O Bispo-conde de Coimbra tinha uma natural simpatia por Aveiro. Estudou em Ílhavo e mais tarde acompanhou o percurso de D. João Evangelista de Lima Vidal, primeiro bispo da restaurada Diocese de Aveiro, com manifestações de estima e proximidade, dele tendo dito D. João que «era uma figura poderosa de bispo, cheio de prestígio e vida», conforme li no livro “Lima Vidal no seu tempo”, de João Gonçalves Gaspar (I Vol., pág.104).
Segundo A. Jesus Ramos, autor da biografia do Bispo-conde de Coimbra, intitulada “O Bispo de Coimbra D. Manuel Correia de Bastos Pina”, o biografado foi «uma das figuras mais marcantes da Igreja em Portugal na segunda metade do século XIX e inícios do século XX». D. Manuel faleceu em 19 de novembro de 1913.
Noutra passagem do livro de João Gonçalves Gaspar lê-se que «Muitas vezes esteve em Aveiro o bispo-conde e até se dirigiu aos arciprestes, párocos e clérigos dos concelhos de Aveiro, Ílhavo, Vagos e Mira, escrevendo-lhes uma carta pastoral sobre a Ria que tem a data de 30 de janeiro de 1891». Acrescenta, ainda, que «também pôs à disposição do arcipreste de Aveiro a quantia de duzentos mil réis para ajudar os pescadores mais necessitados a fazerem a substituição das redes de pesca, em obediência aos regulamentos oficiais».
Não consta que tenha visitado a Gafanha, mas esteve em Ílhavo.

Fernando Martins

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

Um retrato bonito da Gafanha do Carmo

A Borda