"ÍLHAVO - TERRA MILENAR"

Uma exposição 
com visita obrigatória

Fernando Caçoilo e Paulo Costa apostaram neste desafio

Moliço, laguna, indústrias, agricultura

Marca da Faina Maior

Padeiros, Sal, Moliço


Se o conhecimento não for partilhado 
não serve para nada

«Pode haver muito conhecimento, mas se não for partilhado pela comunidade, se ficar guardado na gaveta, não serve absolutamente para nada», disse o presidente da Câmara Municipal de Ílhavo, Fernando Caçoilo, na inauguração da exposição “Ílhavo, Terra Milenar”, aberta ao público no dia 15 de outubro, no Centro Cultural de Ílhavo. Referiu que «o passado nos dá força e conhecimento para percebermos o que devemos fazer para o futuro das nossas gerações». 
A exposição, que ficará patente até 17 de abril de 2017, poderá vir a ser enriquecida pelo contributo dos munícipes, mas não só, graças ao desafio lançado a todos os presentes pelos autarcas e demais responsáveis da equipa que coordena o projeto — CIEMar-Ílhavo —, que abarca o estudo do passado até ao presente, rumo ao futuro, com mais de dois anos de pesquisas. Nas investigações, têm-se envolvido técnicos credenciados e voluntários com gosto pelo conhecimento da história de terras ilhavenses.
Paulo Costa, vereador da Cultura e dinamizador deste aliciante trabalho, que considera «ambicioso», frisa a importância de todos conhecermos melhor a nossa história «mais sistematizada». Adianta que nos próximos seis meses serão desenvolvidas diversas iniciativas, de forma regular, nomeadamente, conversas, colóquios e debates, dirigidas a vários públicos. 
Admite que a partir deste trabalho-base haverá investigações mais profundas, estando em preparação uma monografia do município «a várias mãos». Salienta que a história do povo «nunca está escrita» porque precisa constantemente de ser «reescrita». Nessa linha, Paulo Costa está certo de que esta exposição «deverá ser um incentivo para conversar e para discutir», no sentido de «conhecermos o passado para prepararmos o futuro». Garantiu, também, que o projeto “Ílhavo, Terra Milenar” vai chegar às escolas.
O visitante encontra no Centro Cultural uma mostra elucidativa e bem ordenada, com painéis que retratam o nosso passado milenar, onde sobressaem vestígios pré-históricos descobertos em Vale de Ílhavo e peças artísticas de pintura e escultura, diversos utensílios da agricultura, salicultura, cerâmica e pescas de antanho, mas também de indústrias locais.
Datas marcantes, cronologias bem alinhadas, evolução demográfica, arqueologia, elementos ambientais, hipóteses do surgimento do vocábulo Gafanha, criação das novas freguesias das Gafanhas por desmembramento de S. Salvador, referências à elevação de Ílhavo e Gafanha da Nazaré a cidades e da Gafanha da Encarnação a vila, entre muitos outros pormenores, podem ser apreciados na exposição.
Esta mostra insere-se nas comemorações dos 720 anos da municipalidade de Ílhavo, podendo ser visitada entre terça e sexta-feira, das 11 às 18h, e aos sábados, das 14 às 19h.

Fernando Martins

Nota: Texto escrito para publicação no jornal Timoneiro. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

Famílias Tradicionais da Gafanha

A Borda