Recordando Dona Gracinda dos Correios


Dona Gracinda

Gracinda Marques da Silva foi uma funcionária dos Correios que trabalhou entre nós até se reformar. Mais concretamente, desde 1946 a 1983. Trata-se de uma pessoa que irradiava simpatia, mostrando-se prestável para toda a gente. Segundo informações que me foram prestadas pelo seu sobrinho por afinidade e meu amigo, Henrique Neves, a Dona Gracinda está presentemente no Lar do Professor, em Aveiro, tem 92 anos, de  saúde frágil, mas com uma lucidez considerável. 

Painel cerâmico

A Dona Gracinda, como era mais conhecida, no seu posto de trabalho ou na rua, nasceu a 19 de Julho de 1919 e iniciou a sua carreira profissional quando terminou os estudos no Liceu Nacional de Aveiro. Entrou nos Correios (atuais CTT) para cobrir faltas de funcionárias, na mesma cidade, em 1943, sendo colocada, posteriormente, no referido ano, em Mira, onde permaneceu até 1946. E neste último ano foi transferida  ainda para a Gafanha da Nazaré, onde se manteve até ser aposentada. 
Na sua residência, em Aveiro, foi encontrado pelos seus familiares o painel cerâmico que ilustra este texto, como sinal de distinção pelo zelo  com que cuidou da casa que habitou, cedida pela empresa. Contudo, a Dona Gracinda nunca o terá exibido, decerto por modéstia.
Daqui a felicitamos pelo que fez pelos gafanhões, desejando-lhe muitos mais anos de vida.

Nota: Os anos passam, mas nem sempre as gerações sucessivas  podem (ou  sabem)  preservar a memória de quem as serviu nos mais diversos cargos públicos ou privados, sobretudo os que cumpriram as suas tarefas profissionais com proficiência e proximidade. É por isso que eu, sempre que posso, dou corpo ao prazer de  recordar pessoas que muito deram à nossa comunidade.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

Famílias Tradicionais da Gafanha

A Borda