Câmara de Ílhavo aprova pedido da criação da freguesia-paróquia da Gafanha da Nazaré

28 de março de 1910 



Alberto Ferreira Pinto Basto


Recordamos hoje a sessão da Câmara Municipal de Ílhavo em que foi aprovado o pedido da criação da freguesia-paróquia da Gafanha da Nazaré. Sublinhamos a ausência na votação do nosso Padre João Ferreira Sardo, vereador e vice-presidente da autarquia, então capelão da nossa terra, provavelmente por não querer ser juiz em causa própria. 
Diz a ata, no que nos diz respeito:


«Foi lida e approvada a acta da sessão anterior para ser para aqui transcripta em conformidade das disposições legaes. 
Foi presente um offício do Administrador d’este concelho n.º 90 de 24 do corrente, acompanhado d’uma representação dirigida a Sua Magestade, dos habitantes do logar da Gafanha d’esta freguesia e concelho, na qual pedem a criação d’uma freguesia com sede no referido logar da Gafanha, para que a Camara se digne dar o seu parecer á cêrca d’este assumpto como determina o artigo 3.º § 4.º do Codigo Administrativo. A Camara depois de ter discutido este assumpto e considerando que o referido logar da Gafanha tem os elementos necessários para se poder constituir numa freguesia; — considerando que os povos do mesmo logar se acham separados da séde da actual freguesia por uma grande extensão de areia solta, cuja travessia se torna bastante encomoda; — considerando que, sendo este concelho constituído por uma única freguesia, que hoje conta cêrca de 15 mil almas, o seu parocho e regedor não conhecem grande numero dos seus habitantes, o que sobremaneira embaraça o serviço publico: por isso é a mesma Camara de parecer que deve ser criada uma outra freguesia com séde no mencionado logar da Calle da villa d’este concelho.» 

Alberto Ferreira Pinto Basto
Benjamim Ferreira Jorge
Manoel Nunes da Graça
Júlio Nunes Rafeiro
Abel Augusto Regalla

Salientamos alguns dados curiosos, nomeadamente, a certeza de que a povoação tinha «os elementos necessários para se poder constituir numa freguesia (…); que os povos do mesmo lugar se acham separados da sede da atual freguesia por uma grande extensão de areia solta, cuja travessia se torna bastante incómoda (…); e que, sendo este concelho constituído por uma única freguesia, que hoje conta cerca de 15 mil almas, o seu pároco e regedor não conhecem grande número dos seus habitantes, o que sobremaneira embaraça o serviço publico». 
Repare-se na rapidez com que o processo foi despachado. Em 24 de março de 1910, o Administrador do Concelho envia o pedido de parecer, em 28 do mesmo mês a Câmara de Ílhavo responde favoravelmente e em 23 de junho de 1910 D. Manuel II decreta a criação da freguesia. Em 31 de agosto de 1910 o Bispo de Coimbra, D. Manuel Correia de Bastos Pina, aprova a constituição da paróquia. 

Fernando Martins

Comentários

A. Cravo disse…
Pelo conteúdo deste documento, quem estiver de boa-fé, conclui que foi criada a freguesia da Gafanha (toda a Gafanha, com sede no lugar da Cale-da-Vila! Só mais tarde, as populações decidiram entre si a divisão de 1911, conforme o Auto de Delimitação patrocinado pelo então Administrador do Concelho! Documento que a Administração actual do Município pretende fazer "tábua rasa"!!!...

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

A Borda