TECENDO A VIDA UMAS COISITAS - 325


POSTAL DO PORTO - 190 


VIMOS DE LÁ TÃO LONGE… 

Caríssima/o: 

Reiniciemos uma viagem, interrompida algures, mas questionada, solicitada e requerida várias vezes e de alguns modos. Agora, por alvitre do administrador do blogue, se mo permitirdes, e embora com algumas dificuldades, retomo-a. 
Começo no número 190, número redondo que na circunstância não assume qualquer simbologia, é apenas um número; neste caso, é a continuação de uma sequência iniciada em agosto de 1973 e que foi sendo publicada até ao número 189, em dezembro de 1994. 
Ou seja, a um ciclo de vinte anos de publicação, seguiram-se quase outros vinte com diferentes escritos e suportes. Sempre no mesmo espírito de fazer memória do passado, com os olhos no futuro, mas os pés bem assentes no presente, inicia-se este novo ciclo que só Deus sabe até onde nos levará. 
Àqueles que já nos conhecemos, apenas direi que da minha parte não vos darei mais do que aquilo que esperais: escritos curtos, sem pretensões nem intenção de substituir o sermão do pregador da quaresma, tão só imagens fugidias do passado ou impressivas do presente e sempre à espera do vosso comentário, sugestão ou correção. 
Aos novos ou que só agora me acompanharem, peço a vossa compreensão e a desculpa pelo esforço que fareis para entender/atingir a largura da nossa passada. Podeis contar com a minha total disponibilidade para esclarecer ou corrigir algum ponto disforme, confuso ou retorcido. 
Como o postal é do Porto, certo, certo mesmo, daqui partirei por vezes e para muitas direções; contudo, normalmente, o ponto de chegada será a borda da Ria. 
Não resta mais, creio, que desejar um 

Bom Ano! 

Manuel 

NOTA: Imagem da rede. 
 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

Um retrato bonito da Gafanha do Carmo

A Borda