Tecendo a vida umas coisitas - 304



PITADAS DE SAL – 34


CORRIDAS DE BATEIRAS … E AS OLIMPÍADAS


Caríssima/o:

Terminado mais um dia de intensa faina na marinha da Novazinha das Canas, o ti Manel Elviro deu as ordens devidas para iniciarmos o regresso. Momento sempre ansiado por todos, cada um com as suas razões e com o seu lugar e tarefa na bateira. Parece que ainda estou a ver: chegados à Cale e aproados para atravessar, era certo ouvirmos o entusiasmo do Ângelo:
- Ali vão eles! Aquilo é que é andar!
E, de fato, eles lá iam a remar como valentes e a competir bateira com bateira; ele até sabia os nomes deles e as marinhas que amanhavam…
Não admira[va], pois, que estes “[R]apazes fortes, rijos, queimados pelo sol e curtidos pelo sal e pelo lodo, ei-los que durante anos ergueram bem alto o nome do Galitos, nos jogos olímpicos de 1948 e 1952, competindo em remo”.
Era, sem dúvida, desta “escola” que saíram os que “[E]m 1948 e em 1952, tripulações de sheel de 8 (remo) participaram nas Olimpíadas de Londres e de Helsínquia, respetivamente. No conjunto, as duas englobaram 14 remadores dos quais apenas um não era marnoto. Estes desportistas juntavam à resistência física adquirida na faina e à familiarização com os remos com que moviam as bateiras nas deslocações diárias para as marinhas, no trajeto de ida e no de volta, o treino específico. Como atletas ganharam a nível nacional e ibérico 'tudo quanto havia para ganhar' ao longo de mais de uma década, congregaram a dupla faceta de marnotos e de remadores. ...” [Énio Semedo, Ecomuseu do salgado de Aveiro, 204]
Ora bem: em plena jornada olímpica o Ângelo terminou a sua corrida. Enquanto correu, fez quanto lhe competia: puxava e animava os outros para que não ficassem para trás!
Que o seu querer e o seu ser, nos estimulem a não virarmos a cara ao nosso ouro olímpico!
                                                                         Manuel



Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

A Borda