As raízes gafanhoas


Praia do Areão: Barco do Mar

Como é sabido, os primeiros habitantes destes areais vieram de Vagos e das suas aldeias. Os apelidos o atestam. Nessa linha, sugerimos que uns diazinhos do período de férias, concretamente, agosto e setembro, sejam dedicados à região vaguense. Não será necessário, a nosso ver, olhar para os apelidos de muitos gafanhões para descobrirmos motivos de investigação. Só isso daria pano para mangas. Mas quem tiver jeito e gosto pelo tema, pode avançar.
Sem grande esforço, porém, apetece-nos aconselhar uma visita a Santa Maria de Vagos, venerada desde os primórdios da nacionalidade, continuando nos tempos que correm a atrair inúmeros peregrinos, um pouco de todo o lado, mas especialmente das terras vizinhas, com destaque para Cantanhede.
Como é normal, tudo quanto é antiga acarreta lendas que se misturam com a história. Santa Maria de Vagos, mais conhecida por Senhora de Vagos, não foge à regra.
Lembra o padre Manuel António Carvalhais, no seu livro “Santa Maria de Vagos”, que «todos os documentos escritos, desde Abril de 1190 a 22 de Fevereiro de 1505, registaram invariavelmente que nesta ermida ou igreja é venerada Santa Maria de Vagos». Contudo, ao longo dos séculos, tornou-se conhecida por Nossa Senhora de Vagos, Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora do Bodo e, até, Nossa Senhora das Cerejas, lembra o prior de Vagos.
A sua festa, na segunda-feira depois da Solenidade do Espírito Santo, continua a juntar muita gente, mas em rigor podemos afirmar que todos os dias, em especial aos fins de semana, não faltam devotos de todas as classes sociais.
Em conclusão, propomos uma visita à Senhora de Vagos, com o indispensável farnel para ser saboreado depois da visita à Mãe de Deus. Não faltam condições com mesas e sombras que amplificam a tranquilidade daquele lugar abençoado.

Porque haverá calor…

Porque haverá calor em agosto e setembro, as praias não poderão ser dispensadas. Vagos tem duas praias importantes, com Bandeira Azul: Vagueira, mais conhecida, e Areão, esta última mais reservada e mais procurada por quem aprecia um ambiente natural e silencioso.
A praia da Vagueira constitui já um centro turístico e habitacional, não faltando quem ali queira degustar boas caldeiradas, com mar à vista. Portugueses e estrangeiros deliciam-se com a Arte da Xávega, aproveitando a ocasião para comprar peixe fresco e variado do nosso mar, sem risco de adquirir gato por lebre.
O areal está valorizado por passadiços, que facilitam a circulação de veraneantes.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

Famílias Tradicionais da Gafanha

A Borda