Padre Rubens António Severino: Notas Biográficas

Padre Rubens

Filho de família tradicionalmente católica
.
1. O Padre Rubens António Severino nasceu a 7 de Agosto de 1942 e foi ordenado presbítero em 12 de Agosto de 1978.
Coadjutor, na Gafanha da Nazaré, de 1979 a 1982, passou a pároco com a saída do Padre Miguel Lencastre, nessa última data. Exerceu o cargo até ao seu falecimento, que ocorreu em 21 de Março de 1990, no Brasil, onde se fixou depois da grave doença que o acometeu e que viria a vitimá-lo. Está sepultado junto ao Santuário de Jaraguá, em São Paulo.
O Padre Rubens era filho de “família tradicionalmente católica”, tendo nascido em Rio das Pedras, no Brasil. Era o quinto filho da família, sendo seus pais João Severino e Ângela Padovezi. Foi baptizado “logo a seguir na igreja matriz do Senhor Bom Jesus de Rio das Pedras, Estado de São Paulo”.
A infância foi normal e ao completar sete anos de idade passou a frequentar a escola primária no Grupo Escolar Barão de Serra Negra. Após a escola primária, foi estudar para o Colégio Piracicabano, onde fez o ginásio. Passou depois para a Escola Normal Rural Professor José de Melo Morães, tendo aí concluído, em 1963, o curso de formação para professores primários.
Começa a dar aulas na fazenda Santa Joana. Para chegar ao local, somente o podia fazer de cavalo, pois não possuía outro meio de transporte.
Paralelamente, ajudava os pais no armazém de cereais, ao mesmo tempo que resolve estudar à noite, completando o curso de aperfeiçoamento para professores primários.
Mais tarde, inicia uma carreira universitária no colégio Piracicabano, na Faculdade de Pedagogia. Como funcionário público, vai trabalhar em Osasco, São Paulo, e funda, com outros colegas, uma ‘República’ – casa para professores primários, onde todos fazem os serviços domésticos.
Continuando a estudar, frequenta a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, onde conclui a licenciatura em psicologia, pedagogia e sociologia.
Entretanto, especializa-se em Administração Escolar e noutras áreas da Educação, na Faculdade de Filosofia Nossa Senhora Medianeira dos Padres Jesuítas.

Fernando Martins

Fonte: “Gafanha - Nossa Senhora da Nazaré”, de Manuel Olívio Rocha e Manuel Fernando da Rocha Martins

Nota: A seguir, Padre Rubens e Schoenstatt

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

Famílias Tradicionais da Gafanha

A Borda