domingo, 30 de setembro de 2012

Jacinta em Entrevista ao XpressingMusic






«O XpressingMusic foi ao encontro de uma das vozes portuguesas mais respeitadas em todo o mundo. Jacinta foi referida por José Duarte como “a cantora de jazz portuguesa”. A sua voz é inconfundível e detentora de um timbre que nos passa emoção e uma sensação de “porto seguro” aliada à sua inquestionável solidez técnica e à garra inerente às suas interpretações.

XpressingMusic (XM) – Jacinta, não é muito comum no percurso de uma cantora de jazz a aprendizagem musical começar pelo estudo da música clássica em piano e composição. Considera que esta fase do seu percurso pode estar na base da sua singularidade enquanto cantora?

Jacinta (J.) – Sim. Apesar de me ter afastado do jazz mais abstrato que comecei a fazer no início da minha carreira, creio que se nota no meu tipo de música as minhas bases de “música exata” ou música clássica, como vulgarmente se chama. Tenho preciosismos, às vezes, para além de alguns estilos jazzísticos mais soltos que, penso, poderão afectar positivamente o resultado musical dos meus projetos.»

Ler a entrevista aqui

TECENDO A VIDA UMAS COISITAS - 310

PITADAS DE SAL  – 40



LÁGRIMA DE PRETA 

Caríssima/o:

Domingo de poesia. Pode pensar-se que o sal nem dá boa rima: tanto suor e tanta dor!
Mas pela mão de António Gedeão alcança-se o sonho e encontra-se o amor!
Muitos já foram convidados para analisar a lágrima; para um ou outro será uma primeira recolha; entremos no laboratório:

«Encontrei uma preta
que estava a chorar,
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.

Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterilizado.

Olhei-a de um lado,
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.

Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.

Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu-me o que é costume:

Nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
e cloreto de sódio.»


António Gedeão

Pela cópia

Manuel

sábado, 29 de setembro de 2012

Festa em honra de Nossa Senhora da Saúde

Li no Diário de Aveiro




“Quem tiver fé na N.ª Sr.ª da Saúde,
não deixa de vir à Festa da Costa Nova”

Este é o segundo ano em que a festa em honra à padroeira da Costa Nova se realiza sem a típica feira, o que agrada à maioria da população local

Jornalista: Carla Real

A decisão de terminar com a feira conta com a concordância da maioria dos populares, que desaprovam o local onde decorria e a proporção que ia ganhando de ano para ano. “Só se a feira se realizasse no Relvado, junto à Ria, e fosse organizada por uma comissão que por ela se responsabilizasse e garantisse a sua regulação”, defendem os moradores.
Eunice Almeida, um dos elementos da Comissão de Festas deste ano, recorda que o incidente decorrido em 2010, que envolveu confrontos entre feirantes e moradores, foi “a gota de água” que determinou o fim da feira, que “estava, a cada ano, mais desregulada e a assumir dimensões astronómicas”. “E as pessoas não queriam a entrada de suas casas bloqueada com tendas, além de que, se fosse preciso, nem uma ambulância ali podia circular; já nem falando no lixo que ficava nas ruas quando a feira terminava”, reforça José Caçoilo, outro dos elementos da comissão, considerando que se perdia o sentido da festa religiosa.

:::::::::::::::::::::::::

Nota: As festas, entre. nós, são uma mistura do religioso e do profano. Sempre terá sido assim. Concordo com elas, por razões sociológicas. Mas temos de reconhecer que em muitos casos há exageros que se chocam com a honra devida aos patronos. Foi o que aconteceu na Costa Nova. Neste caso, a decisão de cancelar a parte profana da festa foi drástica e certa.
É claro que admito a hipótese de se estudar o assunto, restituindo ao povo a romaria, com regras rígidas, para se não fazer dela uma feira sem rei nem roque. O povo precisa de romarias, mas não de barracadas animadas por violências e atropelos à ordem pública e ao bem-estar de moradores e de romeiros.

FM

- Posted using BlogPress from my iPad

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Governo prepara novo regime de isenções nas Scut

Garante Ribau Esteves, presidente da CIRA





"O presidente da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) revelou esta sexta-feira que o secretário de Estado da tutela lhe disse que o Governo “está a preparar um novo regime de isenções de portagens nas Scut”, vias sem custos para utilizador, para vigorar a partir de Janeiro."

Li aqui


- Posted using BlogPress from my iPad

Vitrais da nossa igreja matriz

Li no Timoneiro deste mês




- Posted using BlogPress from my iPad

Location:Rua Almeida Garret,Gafanha da Nazaré,Portugal

No Jardim Oudinot: Um cafezinho a olhar para a ria


Li no Timoneiro deste mês




Nota: Por lapso, diz-se no texto que se trata do Forte, quando, afinal, não passa de uma réplica da antiga Guarita. FM

- Posted using BlogPress from my iPad

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Dia Mundial do Mar - 27 de setembro

A UA e a economia do mar: o posicionamento da investigação na cadeia de valor da inovação



«O Dia Mundial do Mar, que se assinala hoje, 27 de setembro, motiva o texto de opinião de Joaquim Macedo de Sousa, gestor de Ciência e Tecnologia e investigador da Universidade de Aveiro. O investigador do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) chama a atenção para a desproporção entre o consumo de peixe per capita, em Portugal, e a percentagem desse peixe que é produzido no país, algo que merece reflexão no contexto da atual situação económica. Por outro lado, alerta para o papel das universidades na inovação e expansão da economia do mar.»

Ler aqui


- Posted using BlogPress from my iPad


AVEIRO: Dia Mundial do Imigrante

No Cais da Fonte Nova


«No próximo domingo, dia 30 de setembro, durante todo o dia o Cais da Fonte Nova vai ser o palco das comemorações do Dia Municipal do Imigrante.
Organizado pela autarquia em colaboração com diversas entidades, será assinalado o Dia Municipal do Imigrante com vista à valorização das comunidades estrangeiras residentes no concelho de Aveiro dando visibilidade ao trabalho que desenvolvem.
Estas comemorações permitirão um melhor conhecimento das populações imigrantes do concelho através da realização de atividades promotoras da interculturalidade e facilitadoras da integração dos imigrantes na sociedade portuguesa em vários domínios, tais como, educação, sensibilização da opinião pública e participação na vida local.
As atividades irão decorrer durante todo o dia e integram mostra gastronómica, dança, teatro, música, exposição, workshops, entre outras ações.»

Li aqui


terça-feira, 25 de setembro de 2012

Parque Desportivo da Costa Nova

Obras vão começar 



 A obra de construção do novo Parque Desportivo da Costa Nova, na zona do antigo campo de futebol de onze, vai iniciar-se no próximo dia 15 de outubro de 2012. Avisa a CMI que todas as ocupações dos terrenos de domínio público marítimo que não forem retiradas até ao dia 14 de outubro de 2012, serão removidas pelas operações iniciais da referida obra, que também vai qualificar em termos ambientais a área em causa.

A nossa gente: Gabriel Ribau Nunes


Gabriel Ribau


A nossa terra (como as demais) foi feita por todos os que aqui nasceram e pelos que a  adotaram  como sua. Por norma, fala-se muito dos que exerceram cargos políticos ou que desenvolveram atividades profissionais, sociais, culturais, religiosas ou outras com certo destaque. Mas há imensa gente que, muitas vezes no anonimato, deram e continuam a dar contributos meritórios Hoje apresento aos meus leitores um amigo que vive a sua viuvez com a coragem necessária, evocando o seu passado e presente com serenidade. Aceita, no fundo, a vida tal como ela é. 

Ver aqui

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Rotary de Ílhavo promove Espetáculo Musical

Centro Cultural de Ílhavo - 4 de outubro, 21.30 horas



O Rotary Club de Ílhavo promove no próximo dia 4 de outubro, pelas 21:30 horas, no Centro Cultural de Ílhavo, um Espetáculo Musical cuja receita reverte para as Instituições Lar de S. José (Património dos Pobres de Ílhavo) e Santa Casa da Misericórdia de Ílhavo, entidades que atravessam neste momento grandes dificuldades financeiras para poderem socorrer quem mais necessita. 
Aliando no mesmo serão a solidariedade, o canto e a música assegurados por grupos que garantem desde logo um espetáculo de qualidade e até alguma irreverência, esta é mais uma forma que o Rotary Club de Ílhavo encontrou para colaborar com Instituições que atravessam também elas momentos muito difíceis. 
Este evento pretende ser um apelo a uma maior consciencialização de todos, quer para os graves problemas que assolam as Instituições de Solidariedade em geral, quer para a necessidade de todos os recursos financeiros disponíveis, e que são cada vez mais escassos, serem por elas geridos com o máximo de aproveitamento, na valorização da qualidade de vida e da dignidade humana. 
Os grupos presentes neste espetáculo musical são o Orfeão da Santa Casa da Misericórdia de Ílhavo, Orfeão de Vagos e a Orquestra Ligeira de Vagos. 

Carlos Duarte

Traineira Alzirinha para passeios turísticos

Por Ana Maria Lopes


Traineira Alzirinha

No Diário de Aveiro de 19 de Setembro, tive conhecimento que dois empresários da região acabam de adquirir e recuperar uma antiga traineira da pesca dasardinha com vista a promover passeios turísticos na ria e no mar. A ideia de Michael Pereira e Carlos Nogueirinha passa por apostar num produto diferente e diferenciado para grupos ou turistas individuais. O único problema é que várias portas se têm fechado a estes empresários. Em toda a laguna aveirense, ainda não lhes foi disponibilizado um cais para poderem exercer a sua actividade turística. 

Ver mais aqui

domingo, 23 de setembro de 2012

Tecendo a vida umas coisitas – 309

PITADAS DE SAL – 39 



O CALDO DE PEDRA 

Caríssima/o: 

Quem não conhece este conto? 
Certamente não é novidade para ninguém… Agora que tem a ver com o sal? 
Acompanhemos o Frade: 

«Um frade andava no peditório. Chegou à porta de um lavrador, mas não lhe quiseram aí dar nada. 
O frade estava a cair de fome e disse: 
- Vou ver se faço um caldinho de pedra. 
E pegou numa pedra do chão, sacudiu-lhe a terra e pôs-se a olhar para ela, como para ver se era boa para um caldo. 
A gente da casa pôs-se a rir do frade e daquela lembrança. Diz o frade: 
- Então nunca comeram caldo de pedra? Só lhes digo que é uma coisa muito boa. 
Responderam-lhe: 
- Sempre queremos ver isso. 
Foi o que o frade quis ouvir. Depois de ter lavado a pedra, pediu: 
- Se me emprestassem aí um pucarinho... 
Deram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e deitou-lhe a pedra dentro. 
- Agora, se me deixassem estar a panelinha aí, ao pé das brasas... 
Deixaram. Assim que a panela começou a chiar, disse ele: 
- Com um bocadinho de unto é que o caldo ficava a primor! 
Foram-lhe buscar um pedaço de unto. Ferveu, ferveu, e a gente da casa pasmada com o que via. 
O frade, provando o caldo: 
- Está um nadinha insosso. Bem precisa duma pedrinha de sal. 
Também lhe deram o sal. Temperou, provou e disse: 
- Agora é que, com uns olhinhos de couve, ficava que até os anjos o comeriam. 
A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves. O frade limpou-as, ripou-as com os dedos e deitou as folhas na panela. Quando os olhos já estavam aferventados, arriscou: 
- Ai! Um naquinho de chouriça é que lhe dava uma graça!... 
Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço. Ele pô-lo na panela e, enquanto se cozia, tirou do alforge pão e arranjou-se para comer com vagar. O caldo cheirava que era um regalo. 
Comeu e lambeu o beiço. 
Depois de despejada a panela, ficou a pedra no fundo. 
A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou-lhe: 
- Ó senhor frade, então a pedra? 
- A pedra... Lavo-a e levo-a comigo para outra vez. 
E assim comeu onde não lhe queriam dar nada.» 

Teófilo Braga - Contos Tradicionais Portugueses 

Manuel

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Primeiro relógio da igreja matriz

Recordei no meu Pela Positiva, para memória futuro, um subsídio para a história da nossa igreja matriz, ou seja, a doação do primeiro relógio e um sino. Ver aqui

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Dia de Aveiro sem carros no passeio!


«No âmbito da Semana Europeia da Mobilidade, a Câmara Municipal de Aveiro está a promover o “Dia de Aveiro sem carros no Passeio!” a 22 de setembro.
Organizadas pela Autarquia, as ações do dia 22 de setembro estão relacionadas com a sensibilização dos cidadãos para que, nas suas deslocações, usem menos o seu carro e servem ainda para alertar para o estacionamento abusivo.
Neste sentido, e seguindo a mensagem do “Ative Access” de promover a mudança do comportamento dos cidadãos pela alteração da sua perceção sobre a pedonalidade, pela sensibilização e experimentação da mobilidade ativa, o “Dia de Aveiro sem carros no Passeio!” consistirá num dia de tolerância zero a quem abusa dos peões e estaciona em cima dos passeios e passadeiras.»

Li aqui

A Senhora dos Navegantes, em procissão lagunar

Por Ana Maria Lopes




Não deixemos de comparar. No ano passado debaixo de uma nortada levada da breca, assistimos à passagem da procissão da Senhora dos Navegantes, à ressaca da «ponte» de um arrastão costeiro, na Gafanha da Nazaré. Apesar do frio, tivemos a oportunidade de apreciar a procissão, calmamente, que nos pareceu, talvez, pela perspectiva, bastante mais bem organizada.

Ler tudo aqui


- Posted using BlogPress from my iPad

domingo, 16 de setembro de 2012

Tecendo a vida umas coisitas - 308


PITADAS DE SAL – 38 



LÍNGUA DE SAL E DITOS DE MARINHA 

Caríssima/o: 

Como estamos no início de um novo ano escolar, creio que não ficará mal fazer um pequeno exercício de imaginação, pondo à prova os conhecimentos «culinários» e das marinhas. Por questão de arrumação, respeitemos a ordem alfabética de alguns termos e expressões da área vocabular das marinhas de sal: 

Alimentar o mandamento; Amanhar o mandamento; Amanhar a marinha; Alimentadores; 
Balde; 
Cabeça de carneiro; Cabrita; Caldeirões; Caldeiros; Comedorias; 
Desmamar; 
Enjoo; 
Meter água; Molhaduras; 
Regar o mandamento; 
Salgar; Sustentar a marinha; 
Talhos; Tomar água; Travessas. 

Para amenizar um tudo nada, alguns ditados populares: 

Quem come salgado, bebe dobrado. 
Peixe podre, sal não cura. 
Grande vai o mal, na casa onde não há pão, nem sal. 
Panela sem sal - faz de conta que não tem manjar. 
A comida sem sal, a doentes, não faz mal 
A comida sem sal nem sabe bem nem mal.

E, por último, não levem a mal que inclua a “explicação” de apenas três desses itens: 

Balde - Espécie de pá de madeira e ferro, com 1,15 m. de comprimento; usa-se para compor o torrão e remover as lamas. 

Cabeça de carneiro - Alfaia com 1,2 m. de comprimento, formada por um cabo, tendo, na extremidade, uma peça em forma de prisma com três lados, dos quais um é arredondado; serve para abrir as canejas. 
O mesmo que Canejeiro. 

Cabrita - Ancinho com um cabo de 1,75 m. e, mais ou menos, 30 dentes curtos, em madeira, que, quando se partem, são, por vezes, substituídos por cavilhas de ferro, de igual tamanho; emprega-se para envieirar o moliço, que se desenvolve durante o Outono e o Inverno. 

Manuel

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Desafios do Mar Português

Amanhã, 15 de setembro. Entrada livre




- Posted using BlogPress from my iPad

S. Paio da Torreira

Ainda o S. Paio...8 de Setembro de 2012


Chinchorro RAQUEL


No último sábado, 8 de Setembro, o programa foi de arromba. Desde a missa campal, procissão de longo trajecto e muita devoção, às corridas de bateiras à vela e chinchorros, havia para todos os gostos. Já que lá estávamos, apesar das nossas conhecidas preferências, mas poucas forças, resolvemos assistir a todos os eventos.
Mas, a bem dizer, as bateiras à vela, em competição lagunar, trespassaram-nos a alma, redimensionando a paisagem. Não havia palavras.
Momentos raros como estes permitem-nos ver as bateiras, tipocaçadeira, com todos os apetrechos para velejar – mastro, verga, vela, todo o cordame necessário, tostes e leme.

Ver mais aqui

Nota: Texto e fotos do Marintimidades, de Ana Maria Lopes

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Biblioteca de Ílhavo alberga livros e os nossos sonhos



(Foto cedida gentilmente pela BMI)

A Biblioteca Municipal de Ílhavo (BMI) assinalou no passado dia 11 de setembro o seu 7.º aniversário, havendo boas razões para o fazer, já que este equipamento tem desenvolvido uma profícua ação cultural no concelho e na região. Paralelamente, tem promovido trabalhos, consultas, divertimento, convívio e formação, o que a situa numa excelente posição de referência, no âmbito da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas. 
A celebração deste aniversário saiu enriquecida pelo lançamento de dois livros: “Capuchinho Vermelho: histórias secretas e outras menos”, coletânea de contos coordenada por José António Gomes e Sara Reis da Silva; e “De capuz, chapelinho ou gorro: recriações de O Capuchinho Vermelho na Literatura Portuguesa para a infância”, de Sara Reis da Silva.

Almoço de confraternização

Por Maria Donzília Almeida 

Rainha

Decorreu, hoje, na cidade vizinha, o almoço na corte do AEGE (Agrupamento de escolas da Gafanha da Encarnação). O restaurante Gafanhão foi pequeno para albergar tantos cortesãos do reino vizinho, que passaram a fronteira, para vir à cidade! 
Cumprindo aquilo que já vem sendo tradição, um grupo de professores, desta vez o DCSH (Departamento de Ciências Sociais e Humanas), organizou o primeiro almoço de confraternização do corpo educativo da nossa escola, como inauguração de mais um ano letivo. 
Apesar do início deste ano ser marcado por grandes mudanças na organização e dinâmica da vida escolar, o que por si só, esmoreceria os ânimos dos professores, isso não aconteceu. Há que contrariar a fatalidade!

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Abertura do ano académico na Universidade Sénior


Ribau Esteves aprecia produtos colhidos na quintinha da US

Toda a gente tem capacidades
 para se ocupar de forma saudável 

«Que toda a gente saiba que existem horas e dias a utilizar; que toda a gente tem gostos e capacidades para se ocupar de forma saudável e útil para si próprio e para os outros.» Este foi um alerta feito pelo presidente da Câmara Municipal de Ílhavo, Ribau Esteves, na abertura do ano académico da Universidade Sénior (US) da Fundação Prior Sardo (FPS), que teve lugar no dia 10 de setembro, na sede daquela instituição, em Remelha, Gafanha da Nazaré. 
O autarca ilhavense realçou a importância da US no contexto municipal, sublinhando que se trata de «uma aposta diferente», sendo uma mais-valia «nestes tempos de crise e de dificuldades». A este propósito, Ribau Esteves referiu que, face à situação concreta em que todos vivemos, de nada vale «chorar», porque dessa forma «não resolvemos problema nenhum». O importante «é sair à rua, lutar, arranjar parceiros para nos ajudarem a gerir e a ultrapassar os nossos problemas», disse. E explicou: «São as tais estratégias de eficiência coletiva.»

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

7.º Aniversário da Biblioteca Municipal de Ílhavo






"A Biblioteca Municipal de Ílhavo assinala amanhã, dia 11 de Setembro, o seu 7.º Aniversário. Nestes seus 7 anos de vida, este equipamento cultural do Município de Ílhavo, tem vindo a afirmar-se como um local de cultura, trabalho, consulta, divertimento, convívio e formação, sendo já uma referência na Rede Nacional de Bibliotecas Públicas.
​Dotada de óptimas condições de utilização, a Biblioteca Municipal de Ílhavo, e numa vertente material, insere-se num edifício cujo design arquitectónico foi já reconhecido a nível internacional.
​Na passagem deste seu sétimo aniversário, a BMI conta já com 6.389 utilizadores inscritos, tendo registado até à data um total de 123.398 empréstimos, verificando-se uma procura crescente de utilizadores do espaço.
Durante o mês de Setembro está a decorrer na BMI a Feira do Livro, oportunidade excelente para enriquecimento do espólio de cada um, com a aquisição de novos Livros.
O sétimo aniversário da inauguração da BMI será assinalado com as seguintes actividades:"

domingo, 9 de setembro de 2012

Tecendo a vida umas coisitas - 307

PITADAS DE SAL – 37 



A ALIMENTAÇÃO DOS MARNOTOS E SEUS MOÇOS 

Caríssima/o: 

E haverá certa curiosidade em saber como se alimentariam os marnotos e os respetivos moços; contudo, os alimentos e a confeção não andariam longe dos hábitos e costumes da população em geral. Se não, veja-se algo do que está escrito:

«Findo este trabalho, o moço mais velho que era habilidoso a cozinhar, foi tratar da bacalhoada, enquanto eram ultimados outros serviços. 
Agora, enquanto o tabuleiro era amanhado, o pessoal aproveitava para almoçar. 
A comida era despejada do panelão, numa travessa grande, e todo o pessoal comia dessa travessa. Cada um pegava no seu garfo, partia um pedaço de boroa e toca a comer, que a manhã tinha sido de muito trabalho e tinha puxado pelo corpo… 
No final da refeição, aquele que não estivesse satisfeito, pegava num bocado do miolo da boroa que tivesse sobrado, e fazia migas no resto do caldo da bacalhoada. Era saboroso. Mas, azar! Não tínhamos trazido colheres. Só uma colher grande de pau, que serviu para mexer a comida enquanto era cozinhada, e para prová-la, para saber se estava bem temperada. Não faz mal. 
- Come um de cada vez e anda à roda, foi o alvitre! 
Assim fizemos, e não constou que alguém tenha adoecido!» [Ângelo Ribau Teixeira, em O Sonho]

sábado, 8 de setembro de 2012

Porto de Aveiro: Viajando pela história

Bacalhoeiro de pesca à linha «Conceição Vilarinho» 



Foi construído na Suécia em 1947 como navio de carga em ferro e adquirido por um armador português em Inglaterra. 
Mudando o seu nome original de “Bury” para “Conceição Vilarinho”, em 1951 faz a sua primeira campanha ao bacalhau, depois de diversos trabalhos de adaptação à pesca. 
Em 1975, tempo de mudanças, passou à pesca por redes de emalhar e terminou os seus dias em 1990.

Li aqui

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Para a história do Porto de Aveiro






"Participação do guarda n.º 7, Elísio José Monteiro, a relatar o desaparecimento da tabuleta a proibir o trânsito de veículos, à entrada do molhe sul, na noite de 25 para 26 de Dezembro de 1931 - Forte da Barra, em 31 de Dezembro de 1931.
Participação do guarda n.º 7, Elísio José Monteiro, a relatar o desaparecimento da tabuleta a proibir o trânsito de veículos, à entrada do molhe sul, na noite de 25 para 26 de Dezembro de 1931 - Forte da Barra, em 31 de Dezembro de 1931.
Segundo averiguações a placa informativa ainda se encontrava no local pelas 11h da noite como comprovou o cantoneiro n.º 2, Joaquim Barbosa. Foi identificado como suspeito do furto o grupo que passou no local durante a noite vindo da Taberna do Forte da Barra: Manuel José Pinho reis, casado, banheiro e residente no Farol; Manuel Gandarinho, casado, Padeiro, residente na freguesia da Gafanha da Nazaré e João Casqueira, solteiro, padeiro, residente na Gafanha do Carmo.
No canto superior direito apresenta inscrição, a vermelho, do n.º 291. Apostos dois carimbos: "recebido em 31 de Dezembro de 1931" e “Apresentado em sessão de 9 de Janeiro de 1932". Partes do texto com sublinhado a vermelho. Capa do processo com inscrição: "Participações do guarda Elísio José Monteiro referentes a diversos assuntos." Folha com dois furos para arquivo do processo."


Li no PORTO DE AVEIRO


- Posted using BlogPress from my iPad

Meia Desfeita de Bacalhau

Li na agenda "Viver em..." da CMI







- Posted using BlogPress from my iPad

Maior Idade - Viver Solidário





"A Câmara Municipal de Ílhavo vai levar a efeito a edição 2012 da Maior Idade/Viver Solidário, de 10 a 16 de Setembro, realizando-se este ano pela décima quarta vez e como corolário das atividades desenvolvidas ao longo do ano com os Nossos Maiores.
Assim sendo, a CMI convida toda a população a participar nas diversas iniciativas do programa, nomeadamente para a Assinatura dos Protocolos relativos à ativação do Fórum Municipal da MaiorIdade e a apresentação da Revista “Maior Idade – a Nove”, que irá decorrer no dia 10, segunda-feira, assim como para a Inauguração da Feira/Exposição “Viver Solidário”, que este ano irá decorrer no Jardim Oudinot, na Gafanha da Nazaré, de 14 a 16 de Setembro."

Ver Programa


- Posted using BlogPress from my iPad

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Exposição Canina-Felina em Aveiro



«Sete centenas de animais de companhia marcam presença no próximo fim-de-semana, 8 e 9 de Setembro de 2012, no Parque de Exposições de Aveiro. A 4ª Exposição Canina Internacional de Aveiro conta com 540 cães inscritos e a 4ª Exposição Felina Internacional de Aveiro apresenta 160 exemplares.
Dos 540 cães inscritos, a raça com maior presença é a “Golden Retrevier”, sendo os exemplares oriundos de vários países europeus.
A par do concurso, realizam-se exposições especializadas das raças Boxer e Cão São Bernardo, a 13ª exposição monográfica do Cão Pastor Belga, provas de agility e uma prova de trabalho do Cão de Água Português.»

Pode ler mais aqui

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Coletânea de Sara Reis da Silva e José António Gomes



Peregrinação para a história de cada um


Santuário de Schoentatt


Ainda não completamente refeito desta 5.ª Viagem-Peregrinação Anual ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima, aqui estou para resumidamente informar da forma como decorreu a viagem.  Assim, o que, na semana passada, através do seu blogue, escrevia, tudo se confirmou. 
A hora da saída do Santuário de Schoenstatt ocorreu às 6.30 horas, a hora da chegada à Guia aconteceu às 12 horas em ponto, para refrescar com um fininho ou dois, o local para o almoço, num Pinhal muito agradável, e a chegada à Capelinha das Aparições às 18 horas, onde nos dirigimos primeiro do que às Instalações onde ficámos. Participámos às 21.30 horas na Procissão das Velas e, para terminar o dia, o chazinho antes de ir dormir. 

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Procissão pela Ria em honra da Senhora dos Navegantes




No próximo dia 16 de setembro, vai realizar-se a já tradicional procissão pela Ria de Aveiro, em honra de Nossa Senhora dos Navegantes, venerada pelas gentes do mar e da laguna. A organização é do Grupo Etnográfico da Gafanha da Nazaré, com a colaboração da Câmara Municipal de Ílhavo e da Administração do Porto de Aveiro.
A procissão sai da igreja da Cale da Vila, pelas 14 horas, em direção ao porto bacalhoeiro, sendo o embarque no cais n.º 3.
O desfile pela Ria tem início às 14.30 horas, incorporando-se as irmandades com os andores, bem como a Filarmónica Gafanhense, os ranchos e grupos convidados (Rancho Típico da Amorosa, Rancho Folclórico da Linhaceira e Grupo Etnográfico da Gafanha da Nazaré). Participam ainda barcos moliceiros e saleiros, com pessoas devidamente autorizadas, mas ainda barcos de recreio.
A procissão faz uma paragem ao largo de S. Jacinto onde, como é hábito, a população local presta homenagem à Senhora dos Navegantes.
O desembarque no Forte da Barra está previsto para as 16.30 horas e na igreja da Senhora dos Navegantes será celebrada a eucaristia, acompanhada por cânticos dos grupos convidados. No final da missa atuará a Filarmónica Gafanhense, seguindo-se às 18.30 horas o Festival de Folclore.


domingo, 2 de setembro de 2012

Tecendo a vida umas coisitas - 306


PITADAS DE SAL – 36 



COMIDA SALGADA… QUE TEM DE SER TRAGADA 

Caríssima/o: 

Lume aceso com labareda forte, a panela até treme com a fervura das batatas com o carapau do de ‘3-25’ e já um cheiro convidativo se espalha entre o fumo que enche a cozinha. 
Atarefada, como sempre, a Mãe olha para a panela e uma mão-cheia de sal é atirada para aquele reboliço; a colher de pau mergulha e vira-que-revira as batatas, procurando não desmanchar os carapaus (são aquelas artes, quase magia, que as nossas Mães sabiam e praticavam!). Meia volta e a capoeira agita-se à espera da braçada de couves. 
Entretanto, o Pai abeira-se do lume e, sem mais aquelas, “que as mulheres são sempre umas esquecidas e depois a comida fica sem gosto nenhum!...”, lá vai um bom punhado de sal fazer companhia aos carapaus. E foi à vida, dar lima a uma serra para o trabalho de amanhã. 
- Ó povo, vamos comer que as batatas desfazem-se! 
Sentados nos bancos corridos, panela escorrida e esvaziada na bacia onde mesmo a fumegar espetamos os garfos ansiosos! Sopra-se na batata para não escaldar a boca e … lá vai ela! Mas que é isto?! A comida é autêntica pilha! Como é possível? 
- Vamos, filhos, tenham paciência, bebe-se mais uma pinga d’áuga! – diz a Mãe. 
Lá se foi empurrando com mais água e íamos perguntando com os olhos o que teria acontecido. E o Pai então descoseu-se: 
- Quando cheguei pus um punhadito de sal, pensei que ainda não tivesses posto… 
- E não tinha… Antes de tirar a panela do lume é que temperei. Arranjámo-la bonita! Comam o peixe, filhos, e deixem as batatas que vão para os porcos! 
Cenas da vida real desses tempos! 

(Porque ali do lado perguntam, sempre digo que o carapau de 3-25, era o carapau grande que era vendido e se pagava 25 tostões por 3 carapaus! … Pronto 25 tostões eram 2$50, 2 escudos e cinquenta centavos, o que equivale a um cêntimo e mais umas migalhitas… Como se vê a ‘crise é séria’!) 

Manuel


Grupo Etnográfico completa mais um ano de vida






O Grupo Etnográfico da Gafanha da Nazaré completou ontem, 1 de setembro, mais um ano de existência, motivo que justifica neste meu espaço uma modesta homenagem. O que ele tem feito no país e no estrangeiro ao nível da divulgação das nossas tradições e das nossas realidades são evidentes.
Aqui ficam os meus parabéns a todo o grupo, na certeza de que o trabalho vai continuar com mais ânimo e mais alegria.

Ver aqui

- Posted using BlogPress from my iPa

Crepioca de Sr. Bacalhau

Fonte: Agenda "Viver em..." da CMI