quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Alberto Ferreira Martins merece ser recordado


Reedito o talão correspondente ao primeiro subscritor dos 85 gafanhões que se responsabilizaram pela construção da igreja da Gafanha da Nazaré, antes ainda da nossa terra ser paróquia e freguesia, o que veio a acontecer apenas depois do decreto de D. Manuel II, rei de Portugal. assinado em 23 de junho de 1910.
Nas minhas buscas sobre a nossa terra, o senhor Alberto Ferreira Martins era pessoa habitualmente presente e com habilitações, o que se prova, no mínimo, pela caligrafia que usava. As atas da Junta de Freguesia, que tive o cuidado de ler e de transcrever algumas, no tempo em que não havia fotocópias, mostravam que o senhor Alberto Martins escrevia corretamente. Nessa altura, perguntei algo sobre ele, mas nada de relevante descobri. Fiz mal. Hoje lembrei-me de voltar ao tema. Espero encontrar algumas portas abertas, porque ele merece ser recordado. Vou aguardar algumas informações dos amigos.

Sem comentários:

Para a história do Movimento de Schoenstatt na Gafanha da Nazaré

Texto publicado no jornal "Comércio do Porto"  em 29 de janeiro de 1985