“Casa Museu” de Manuel Serafim - séc.XX ao vivo!

Manuel Serafim mostra a sua casa-museu


Aceitando o convite do aluno e professor Manuel Serafim,  a turma de Comunicação e Fotografia, composta por 16 alunos, foi visitar a “Casa Museu”, antiga casa de habitação dos pais do maestro da Tuna da Universidade Sénior da Fundação Prior Sardo.

Quarto 


Deslumbramento é a palavra mais adequada ao que pudemos ver e sentir. Para Manuel Serafim, tudo isto começou há pouco mais de um ano, após a sua reforma como mecânico da Sociedade  de Pesca Miradouro (Friopesca).
Grafonola e outras peças de coleção

Com muitas peças que entretanto ia juntando e outras que existiam em casa de seus pais, entretanto desocupada (o pai era carpinteiro naval e a mãe dedicava-se à lavoura),  foi reconstruindo a habitação como se fosse um museu de determinada época e hoje, para quem, como nós, viveu estes tempos, foi um lembrar de recordações, desde os discos de vinil, o gira-disco, a grafonola, os rádios de válvulas com as antenas em fio de cobre, antigos instrumentos musicais, o fogão a lenha com a panela de três pés, não esquecendo os candeeiros a petróleo, os santos e os crucifixos nos quartos e até os livros de bolso da Europa-América!.


A música sempre presente

Astrolábios, estátuas de pedra feitas pelo próprio, coleção de azulejos antigos, peças de ferro e madeira trabalhadas à mão, potes para apanha do polvo revestidos de fosseis marinhos, utensílios de antigos navios da pesca, instrumentos de lavoura, medidas utilizadas para cereais, mós de moer cereais, arcas, relógios, instrumentos musicais, louça da VA, quartos de dormir e cozinha mobilados como se estivéssemos no inicio do Séc. XX, oficina com diversas máquinas de trabalhar metais e um estúdio musical onde todas as semanas se juntam amantes da música, a saborearem o que mais gostam de fazer, cantar e tocar! Tudo isto é iluminado com luz solar através de um painel solar!!!!!!!
Na despedida, Manuel Serafim dirige-se ao professor Carlos Duarte e diz: “Já me esquecia, tenho por aí diverso material e um ampliador onde em tempos revelava e ampliava fotografia; se quiser, qualquer dia posso lá ir falar disso, quer?”
Para ilustrar e “abrir o apetite” a quem queira visitar, na R. Gil Vicente, esta “Casa Museu”, seguem algumas fotos.

Carlos Duarte

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

A Borda