Primórdios da Gafanha


A PENÍNSULA DA GAFANHA
JÁ PERTENCEU À DIOCESE DO PORTO?

A península da Gafanha abrange uma fatia de terreno de mais de 25 quilómetros de comprimento por cinco de largura. Banhada pela Ria de Aveiro e com o som do mar bem nítido, esteve inicialmente ligada a Ovar. Lê-se na brochura “Mar e Ria abraçam Santa Maria” que «Ao inquérito de 1758, que deu origem às “Memórias Paroquiais” (ou Dicionário Geográfico, coordenado pelo Padre Luís Cardoso), respondia o Pároco de Ovar que junto à “Barra Velha”, na Vagueira, a confrontar com Mira, existia um marco de pedra com as letras VAR, significando que todo o território a poente da Ria, incluindo a península da Gafanha e as Capelas da Senhora das Areias (S. Jacinto) e da N.ª Sr.ª do Bom Sucesso (Torreira), pertenciam a Ovar.»

A mesma brochura lembra que a Península da Gafanha, entre o canal de S. Jacinto e o Oceano, «esteve incluída no Senhorio de Vagos e nas Casas da Feira e do Infantado e Cabido da Sé do Porto. Daí a grande ligação a Santa Maria de Vagos (e não tanto a Ílhavo ou a Aveiro) e ao padroado de S. Cristóvão de Cabanões (Ovar)»

FM

Comentários

ac disse…
Há localidades do distrito de Aveiro que pertenciam a Barcelos, etc. Antigamente estava tudo muito dependente dos interesses adquiridos. E a Igreja também os tinha.

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

Famílias Tradicionais da Gafanha

A Borda