Crianças austríacas na Gafanha da Nazaré

Lancei há dias, no Pela Positiva, um desafio, junto dos meus leitores, no sentido de recolher informações sobre as crianças austríacas que vieram para a Gafanha da Nazaré, depois da segunda grande guerra. Através dos comentários possíveis no blogue, apenas me chagaram duas respostas, embora outras pessoas me tivessem contactado, com informações imprecisas. Tentarei conseguir mais. Veremos se tenho sorte…
As duas achegas aqui ficam, à espera de mais…
*** Na casa onde fui criado (Casa das Caçoilas),também foram acolhidas pelos meus avós, algumas dessas crianças, segundo relato da minha falecida mãe. Não as conheci pessoalmente, mas vi fotografias dessas pessoas, tiradas aquando da sua permanência na Gafanha. Abraço Leopoldo Oliveira
*** Fernando: É uma recordação interessante, que nos leva à nossa meninice. À criança que ficou com o Padre Bastos, chamava-lhe ele "A escotinha" por ser tão pequenina! Na casa do Cap. Fernandes, ficaram dois moços. Recordo-me do nome de um deles, pois ao ouvir um avião a aterrar, fugiu rapidamente para dentro de casa, a tremer! Só quando o chamámos ele veio, desconfiado, para a rua brincar connosco. Chamava-se Rudy Plescou (a pronúncia era esta, não sei se se escreveria assim!) O Cap. Óscar, poderá melhor pronunciar-se sobre este assunto.
Saúde
Ângelo Ribau

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Ponte da Cale da Vila que ruiu

Famílias Tradicionais da Gafanha

A Borda